Close

Maio 19, 2016

Bibliotecas perdem um quarto de seus funcionários e outras centenas são fechadas

Quase 8.000 postos de trabalho desapareceram nas bibliotecas do Reino Unido em 6 anos.

No mesmo período, aproximadamente 15.500 voluntários foram recrutados para trabalhar nas bibliotecas, enquanto 343 bibliotecas fecharam suas portas, levando os bibliotecários ingleses e, por que não, do mundo inteiro a questionar o futuro da nossa profissão.

A BBC fez uma investigação e chegou a alguns indicadores preocupantes como:

Estão previstas o fechamento de 111 bibliotecas ainda este ano.

O número de staff pago nas bibliotecas diminuiu 25%. Isso significa que estão contratando voluntários sem a formação adequada para trabalhar nas bibliotecas.

Entre outros indicadores que você pode ver na íntegra aqui.

O autor de livros infantis Alan Gibbons declarou que o serviço de bibliotecas públicas enfrentam a sua maior crise na história.

Se isso acontece em um país de primeiro mundo, questiono: qual será o futuro das bibliotecas públicas aqui no Brasil?

Philip Pullman, autor da famosa trilogia His Dark Materials, disse que as bibliotecas não deveriam deixar seus serviços a cargo de voluntários. Há evidências de que a qualidade do serviço prestado à comunidade é inferior.

O bibliotecário Ian Anstice, que dirige o site Public Libraries News informou que os cortes são sem precedentes. Os números são desanimadores com 343 bibliotecas fechadas, sendo 207 dessas bibliotecas, prédios, isto é, bibliotecas físicas.

Os cortes também atingem a Escócia, Irlanda e várias outras regiões do Reino Unido.

Algumas autoridades dizem que as mudanças são inevitáveis. Dizem que os voluntários desempenho várias atividades como clubes de leitura, recolocação de livros nas estantes, entre outras tarefas. Percebe-se que as autoridades de lá também não enxergam o valor das atividades que bibliotecários treinados tem. Essa ignorância não é exclusiva do terceiro mundo, não é mesmo?