Close

outubro 20, 2016

O bibliotecário da presidente: triângulo amoroso

portal do bibliotecario, o bibliotecario da presidente

Quando Fernanda voltou da viagem com a presidenta, ela me ligou, disse que ia passar na minha casa pra mostrar as fotos que ela fez da Dilma durante a campanha em alguns estados do nordeste. Ela passou cerca de 10 dias viajando, confesso que estava com saudades. Mas assim que ela chegou a minha casa notei que ela estava diferente. Não sei bem dizer em que, mas sabia que algo tinha acontecido.

Abri a porta e fui recebido com um beijo na bochecha e um calhamaço de fotos pra dizer o que eu achava. Fernanda estava feliz, com um ar leve e muito empolgada. Disse que estava com saudades e queria sair comigo. Lembrei-a que tínhamos que ir à livraria do Zeca, estava devendo essa visita fazia tempo. Depois de me contar as aventuras da viagem Fernanda abriu uma garrafa de vinho, colocou um pen drive no meu som cheio de músicas da Cat Power e transamos na sala, no quarto e até na cozinha. Não sou de reclamar, mas achei a parte da cozinha um pouco anti-higiênico.

Brincadeiras a parte, estávamos tendo um dia incrível! No final da tarde fomos à livraria do Zeca, queria apresentar Fernanda pra ele e comprar alguns livros. Quando chegamos a livraria já estava fechada. Zeca nos viu do lado de fora e abriu a porta só pra gente entrar e voltou a fecha-la. Pedi desculpa pela demora, mas Zeca ficou tão feliz de nos ver que nem deu importância. O problema é que Zeca é muito competitivo e começou a me bombardear com perguntas que deixaram Fernanda e eu sem graça.

– Finalmente estou conhecendo sua namorada, hein Valentim?

– Ela não é minha namorada Zeca, estamos nos conhecendo!

– Hum, desculpe, mas se eu fosse você não deixaria ela escapar.

Fernanda observava tudo com um sorriso no rosto até receber as primeiras perguntas de Zeca.

– E você Fê, posso te chamar de Fê?

– É… Acho que sim.

– O que uma garota tão linda faz com um cara como o Valentim?

– É como ele disse, estamos nos conhecendo, eu sou do Rio e ele está me ajudando na adaptação aqui em Brasília.

– Valentim é um careta Fê, vou te levar em umas festinhas bacanas e você vai conhecer as coisas realmente boas que tem por aqui.

Interrompi Zeca com um abraço e falei bem baixo no ouvido dele pra ele segurar a onda, pois estava nos deixando incomodados. Ele prontamente pediu desculpas e começou a rir.

– Não se preocupe Valentim, estou apenas querendo me enturmar.

– E desde quando você precisa disso?

– Estou me sentindo carente, amigo!

Rimos e continuamos um papo mais tranquilo sobre livros e indicações de leitura. Fernanda adorou a livraria de Zeca, mas não posso dizer que ele a agradou. Depois que fomos embora Fernanda reclamou da personalidade do meu amigo.

– Esse cara é muito efusivo!

– Ah! Zeca é assim desde e a faculdade. É o jeito dele.

– Jeito de babaca!

Caí na risada. E confesso que fiquei um pouco feliz. Zeca sabia muito bem como conquistar mulheres, lembro-me das festas na universidade, onde ele sempre ficava com pelo menos uma garota. Se eu fosse brigar com ele pela Fernanda tinha uma boa chance de perdê-la.

Só que tinha um “porém” nessa história toda. Eu me esqueci de conversar com a Fernanda sobre o que ela pensava disso tudo. E acabei pagando o preço depois de um tempo. Não houve uma disputa pela Fernanda, como eu havia dito, estávamos apenas nos conhecendo. Mas quando o Zeca demonstrou interesse por ela eu senti ciúmes. Criei uma imagem da nossa relação na minha cabeça que não era nem de perto semelhante à realidade.

Pelo menos isso era o que eu pensava até chegarmos em casa. Aquela desconfiança que eu tive quando ela chegou se confirmou naquele mesmo dia. Fernanda me contou, já com lágrimas nos olhos, que havia mentido para mim. Confuso, pedi pra ela não se preocupar e me contar o que estava acontecendo.

Fernanda tinha ido conhecer a livraria do Zeca antes de viajar, ela precisou de alguns livros sobre o nordeste pra compor o trabalho fotográfico que ela ia fazer. Os dois saíram pra tomar uma cerveja no Líbanus, um bar árabe aqui de Brasília. Papo vem papo vai e eles acabaram ficando juntos naquela noite. Como no dia seguinte ela ia viajar, preferiu me contar pessoalmente quando voltasse.

Lógico que eu fiquei puto! Mas não me sentia traído nem algo parecido, afinal, não tinha rotulado nossa relação ainda, éramos apenas amigos. Era uma amizade colorida. O que me deixou com raiva, foi toda aquela encenação na livraria, onde eles fingiram que não se conheciam.

Depois de pedir desculpas, Fernanda pediu para dormir na minha casa. Já era tarde, e minha raiva não foi o suficiente para recusar o pedido dela. Arrumei o sofá da sala pra ela e fui dormir no meu quarto. No dia seguinte acordei e o café da manhã já estava pronto. Agradeci mas não conversamos muito. Fomos juntos para o trabalho. Chegando ao Palácio da Alvorada, ela foi se reunir com a presidenta e eu fui trabalhar com Ricardo. Íamos testar uma ferramenta de análise de redes sociais.

Ricardo apresentou a ferramenta, mas eu estava com a cabeça em outro lugar. Não consegui concentrar no trabalho, então o liberei pra fazer as análises sobre a presidenta e me apresentar um relatório no dia seguinte. Peguei o carro e fui ver o Zeca na livraria, queria ouvir o que ele tinha a dizer sobre toda aquela cena que ele fez.

Fui sem avisar e quando cheguei lá ele ficou branco. Já sabia pela minha expressão que eu já estava sabendo da noite que ele passou com a Fernanda. Zeca me pediu desculpas e disse que se sentia arrependido, que não queria perder a amizade que a gente tinha por causa de uma garota.

Respondi que não estava chateado com o fato deles terem se curtido, esse era o menor dos problemas. O que me deu raiva foi o fingimento deles. Fiquei me sentindo um idiota. Infelizmente a nossa amizade nunca mais foi a mesma, perdi totalmente a confiança no Zeca. Desde então passei a usar a Amazon pra comprar livros.

Minha situação com a Fernanda mudou. Continuamos amigos, mas a parte colorida terminou ali. Resolvi meter as caras no trabalho o que acabou me afastando dela, dos amigos, família e casos amorosos. Sabia que seria algo temporário então não me preocupei muito. Mas ainda assim, tinha tempo pra fazer as coisas que eu gostava. Até pedalar um dia com a presidenta eu pedalei, por exemplo.

Alguns dias depois recebi um e-mail do Ricardo com o relatório que havia solicitado. Meu trabalho ficou muito mais fácil quando vi o resultado do trabalho dele. Com as informações que ele tinha levantado tinha certeza que a presidenta seria reeleita. As análises das informações nas redes sociais davam um retrato exato do que ela precisava para escrever o plano de governo, discursos e propagandas eleitorais, queria muito fazer a primeira apresentação pra demonstrar que o nosso trabalho valia à pena.