Close

Abril 14, 2016

Procedimentos para higienização de acervos

portal do bibliotecário higienização de acervos

O que é?

A higienização de um acervo é um dos procedimentos mais significativos que há no processo de conservação de materiais bibliográficos. A poeira é a grande inimiga da conservação dos documentos, pois contém partículas de areia que cortam e arranham; fuligem, mofo e inúmeras outras impurezas, atraem umidade e degradam papéis. Além de remover a poeira, sempre que possível, devem ser removidos objetos danosos aos documentos, como grampos, clipes e prendedores metálicos. A higienização corresponde a retirada da poeira e outros resíduos estranhos aos documentos, por meio de técnicas apropriadas.

Como deve ser feita?

A higienização deve ser feita em intervalos regulares. É importante assinalar que a própria limpeza pode danificar encadernações frágeis que muitas vezes não resistem ao manuseio para limpá-las. Nesse caso, é necessário bom senso para decidir quando os livros e documentos podem e devem ser limpos. Uma vez que a limpeza pode ocasionar danos aos livros e documentos, deve ensinar-se, aos funcionários, técnicas de manuseio além de conscientizá-los da importância dessa tarefa que, por ser tão detalhada e morosa, é freqüentemente adiada ou esquecida; ela deve ser executada de forma cuidadosa: volume a volume ou documento a documento.

Procedimentos

a) Higienização de livros
• Colocar o livro sobre a mesa ou capela.
• Passar pincel, trincha ou brocha de maciez adequada suavemente nos cortes.
• Passar pincel, trincha ou brocha no cabeceado, de dentro para fora.
• Passar pincel ou trincha suavemente na contracapa, nas primeiras e últimas folhas, empurrando a poeira no sentido contrário ao operador.
• Limpar página a página, quando o documento apresentar sujidade.
• Passar trincha ou pincel bem próximo à costura, pois geralmente é onde há um maior acúmulo de sujidades.
• Passar trincha ou pincel sobre a superfície da capa.
• Passar uma fralda macia em toda a superfície da capa.
• Após a higienização das páginas, deve fazer-se a oxigenação da obra, isto é, folhear a obra várias vezes, o que proporciona a sua aeração.
• Se a higienização for periódica, restringir a limpeza às quinze primeiras e às quinze últimas folhas.

b) Higienização de processos e documentos textuais
• Passar a trincha ou pincel no documento para remover as sujidades superficiais, sempre no sentido contrário ao operador.
• Passar o saquinho com pó31 de borracha, se necessário, por toda a superfície do documento em movimentos leves e circulares.
• Retirar o pó de borracha com o auxílio da trincha ou pincel.
• Se houver dejetos de insetos, restos de alimentos ou outras sujidades, remover com um bisturi, tendo o máximo de cuidado possível.

c) Remoção de grampos
• Apoiar sobre a mesa o documento grampeado com o verso para cima.
• Abrir o grampo, com o auxílio da espátula.
• Puxar o grampo com delicadeza, para não rasgar o papel.
• Passar a trincha ou pincel no documento, retirando a sujidade de oxidação.
• Aplicar o saquinho com pó de borracha, para retirar as manchas de oxidação.

d) Remoção de clipes
• Apoiar o documento sobre a mesa.
• Retirar o clipe, puxando-o com delicadeza no caso de estar oxidado.
• Passar a trincha ou pincel no documento, retirando a sujidade da oxidação.
• Aplicar o saquinho com o pó de borracha, para retirar as manchas de oxidação.

Fonte