Close

Março 7, 2017

Gestão da informação: uma breve introdução

O que é?

A Gestão da Informação refere-se às atividades relacionadas à informação, fazendo intersecção com as áreas de Ciência da Informação, Sistemas de Informação, Tecnologia da Informação e Gestão do Conhecimento. A Gestão da Informação é constituída por diversos processos, na intenção de construir a ligação entre a gestão estratégica e a aplicação da tecnologia da informação nas organizações, constatando qual informação interessa, para, a seguir, definir processos, identificar fontes e modelar sistemas (GEWANDSZNAJDER, 2005).

Três níveis

Passos de Oliveira (2010), com base no processo decisório organizacional, divide a Gestão da Informação em três níveis:

  1. estratégico,
  2. tático e
  3. operacional.

Segundo essa classificação, a especificidade das informações aumenta na base da pirâmide, onde é necessário resolver questões operacionais, enquanto no topo as decisões estratégicas exigem informações que envolvem as relações da organização como um todo.

Objetivo

Para Amaral (1994, p. 27), a Gestão da Informação tem por objetivo sustentar uma visão global dos dados organizacionais, satisfazendo as necessidades de informação, “[…] por intermédio da determinação e operacionalização de quais, onde, quando e como os dados e informações devem estar presentes na vida da organização.”.

Como funciona e os resultados esperados

Na perspectiva das ações de informação e seus desdobramentos em sistemas, serviços e produtos, para González de Gómez (1999, p. 68), a Gestão da Informação envolve o “[…] planejamento, instrumentalização, atribuição de recursos e competências, acompanhamento e avaliação.”. Para a autora, a gestão estabelece a mediação entre as políticas de informação e a ação dos atores sociais envolvidos, pela disponibilização ou omissão de informação.

A Gestão da Informação “[…] busca explorar os recursos de informação para que a organização seja capaz de se adaptar às mudanças do ambiente interno e externo.” (CHOO, 2003, p. 40).

Comportamento

Hábitos de informação, principalmente no ambiente eletrônico, indicam que simplicidade, atratividade, imagens e imediatismo dominam o uso da informação. Essa é a razão por que os modelos ecológicos de competência em informação enfatizam a navegação, a personalização e a visualização. Ao serem orientados, os indivíduos modificam o modo de analisar a informação, seu estilo de comportamento quanto ao uso da informação e as habilidades práticas de processamento de informações. Isso favorece o desenvolvimento e as adaptações de horizontes de informação dos usuários e das suas estratégias em ambientes informacionais.

Mercado de trabalho

Em “mudanças do ambiente interno e externo” é que o cliente está interessado. Essa capacidade de prever cenários possíveis é muito importante para o planejamento estratégico de qualquer tipo de organização. O bibliotecário não só apresenta os cenários como sugere caminhos a seguir.

Imagine que você é dono de um Café, e tem um funcionário só pra te dizer qual é o tipo de grão mais tomado, qual tipo de café as mulheres entre 25 e 34 anos preferem, te dando uma série de relatórios para você direcionar suas campanhas publicitárias e até mesmo subsídios para criação de um  novo produto. Nada mal, não é mesmo? Você pode ser esse funcionário.

Fontes:

AMARAL, Luis Alfredo Martins do. Praxis: um referencial para o planejamento de sistemas de informação. 1994. 251 f. Tese (Doutorado) – Universidade do Minho, Braga, 1994. Disponível em: <https://repositorium.sdum.uminho.pt/retrieve/301/PRAXIS_Amaral.pdf>. Acesso em: 07 Mar. 2017.

CHOO, Chun Wei. Gestão de informação para a organização inteligente: a arte de explorar o meio ambiente. Lisboa: Caminho, 2003.

GEWANDSZNAJDER, Flavio. A influência da gestão da informação no processo decisório da previdência social brasileira: um estudo exploratório. 2005. 145 f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – Programa de Pós-Graduação em Administração de Empresas, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, Maria Nélida de. Da política de informação ao papel da informação na política contemporânea. Revista Internacional de Estudos Políticos, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 57-93, abr. 1999.

OLIVEIRA, Joelma de Souza Passos de. A gestão da informação como suporte ao processo de tomada de decisão em uma instituição pública de ensino superior: um estudo de caso. 2010. 163 f. Dissertação (Mestrado em Ciência, Gestão e Tecnologia da Informação) – Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010.

SILVA, E. C. R. E.; VITORINO, E. V. A gestão da informação sob a abordagem da ecologia: possibilidades à competência em informação. Em Questão, v. 22, n. 1, p. 242-266, 201610.19132/1808-5245221.242-266. DOI:10.19132/1808-5245221.242-266. Disponível em: <http://www.brapci.ufpr.br/brapci/v/a/20070>. Acesso em: 07 Mar. 2017.