Close

dezembro 18, 2015

2015 segundo a Busca do Google

Da ruína ao empoderamento e da tragédia à esperança: nosso 15º levantamento anual Pesquisas do Ano revela os momentos que capturaram os corações do mundo todo –e questões que mostram quem somos. De “como posso ajudar o Nepal” a “como o mundo pode chegar à paz”, aqui está uma retrospectiva de 2015, pelas lentes da Busca do Google.

Em busca de como ajudar
Dois minutos depois dos ataques mortíferos em Paris, em novembro, os franceses estavam procurando por informações sobre o que acontecia na cidade. Menos de dez minutos depois, todo o mundo começou a procurar. Até hoje, já houve mais de 897 milhões de buscas sobre a cidade em um momento em que o mundo se uniu para “rezar por Paris” (#prayforparis).
Demonstrações globais de apoio e ofertas de ajuda foram um tópico recorrente neste ano. Depois do terremoto no Nepal, “como posso ajudar o Nepal” chegou ao topo de buscas no mundo. De Somerville, nos EUA, a Ludwigsberg, na Alemanha, as pessoas buscaram por como se voluntariar e como doar.
Em busca de perspectiva
Enquanto as perguntas sobre o Nepal foram similares em todo o mundo, a crise migratória na Europa levantou uma quantidade mais variada de termos. Desde a Itália, onde vimos “como adotar uma criança órfã síria” até a Alemanha, onde perguntavam “de onde estão vindo os refugiados”, o mundo recorreu ao Google para entender a situação e o que ela significava para cada um.
Nos EUA, o assunto das armas trouxe uma variedade de perguntas. De Portland a Austin, pessoas de todo o país procuraram por “o que é controle de armas”  e “por que precisamos de controle de armas” e “por que o controle de armas não funciona”. Com mais de 160 milhões de buscas, o interesse em controle de armas teve uma alta maior do que o interesse por lojas de armas (tipicamente uma busca mais popular) em vários momentos de 2015.
Em busca de aceitação
Em junho, conhecemos Caitlyn Jenner, uma pessoa que, ao mesmo tempo, todos já conhecíamos e todos estávamos conhecendo pela primeira vez. Em todo o mundo, ela foi buscada mais de 344 milhões de vezes, e sua história deu uma nova voz à comunidade de transgêneros.
As pessoas comemoraram com “#lovewins” quando a Suprema Corte dos EUA tomou a decisão monumental de que casamentos gays deveriam ser reconhecidos tanto em nível estadual como em nível federal. A reação foi instantânea, com o interesse em buscas tanto por casamentos do mesmo sexo como pela Suprema Corte atingindo um pico recorde em toda a história do Google.
Buscando… o vestido, a Força e a cantora
No que diz respeito a conversas mais amenas, o ano começou com o mundo dividido com relação a umapergunta importante: é branco e dourado ou azul e preto? Dias de debate e 73 milhões de buscas depois, “vestido azul e preto” superou em número de buscas “vestido branco e dourado” e o assunto foi encerrado para sempre (né?).
E apesar de “Star Wars: o Despertar da Força” estar chegando aos cinemas nesta semana, o filme já dominou a internet. Só o trailer teve mais de 155 milhões de buscas! Mas o recorde no Google sobre Star Wars aconteceu em 2005, quando “A Vingança dos Sith” chegou aos cinemas –podemos batê-lo nesta semana?
Finalmente, não há melhor forma de fechar o ano do que dizendo “Hello”. Com a estreia de “25”, Adele quebrou recordes a cada semana semana, colocando seu álbum no topo das listas e chegando ao topo da Pesquisa do Google mais depressa do que qualquer outro músico, neste ano.
Centenas de histórias em detalhes
As Pesquisas do Ano 2015 vão mais fundo do que nunca. Desta vez, cobrimos centenas de novas histórias, dividimos guias e tabelas interativas e mergulhamos nos números para revelar quantas vezes as pessoas procuraram pela Adele (439 milhões, se você quiser saber…!).
Visite Google.com/2015 e explore o resto das histórias das Pesquisas do Ano 2015 e as listas de todo o mundo.
Postado por Amit Singhal, vice-presidente sênior de Busca

Deixe uma resposta