Seminário sobre informação na internet e mais

O Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – Ibict, vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, promoverá em Brasília, de 03 a 06 de agosto de 2015:

evento
5º SEMINÁRIO SOBRE INFORMAÇÃO NA INTERNET e o II SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PRESERVAÇÃO DIGITAL – SINPRED.

Os dois eventos representam a soma dos esforços do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI e do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia no sentido de promover ações que levem ao melhor uso das tecnologias de informação e internet por parte dos cidadãos brasileiros.

O Seminário sobre Informação na Internet é um evento realizado pelo Ibict a cada dois anos e tem discutido, em cada versão, assuntos relevantes relacionados ao uso técnico, científico, educacional, cultural e social da Internet, principalmente no Brasil.

O Seminário Internacional de Preservação Digital (Sinpred) tem como objetivo discutir a preservação digital e difundir o uso de tecnologias para arquivamento de documentos eletrônicos na internet em longo prazo. Sua primeira versão foi realizada em maio de 2014, promovida pela Rede Brasileira de Preservação Digital, a Rede Cariniana, ligada ao Ibict.

Sitehttp://eventos.ibict.br/index.php/ssin/ssin

Contatos:

Valéria Gameleira
Telefone: 61 3217- 6178
sini.sinpred@ibict.br

Posted in Bibliotecário, Biblioteconomia, Evento, Seminário Internacional de Preservação Digital, Seminário sobre Informação na Internet | Leave a comment

Bibliotecas escolares: aproximando os alunos

A biblioteca escolar é entendida como uma extensão pedagógica dos conhecimentos didáticos, mostra-se como unidade de primordial importância no incentivo e manutenção das práticas de leitura. Constituímos a biblioteca, portanto, como espaço democrático e de promoção do conhecimento.

Estímulo entre pares

Funções da Biblioteca Escolar

informação – fornecer informação de confiança, rápida e acessível; orientação na localização, seleção e utilização da informação
educação – promover a integração da informação no currículo escolar; facilitar o alargamento compreensivo da informação recolhida; promover educação contínua;
cultura – apoiar a experiência estética, orientar na apreciação da arte e encorajar a criatividade;
recreio – oferecer um espaço lúdico que permita a boa utilização do tempo de lazer, através da apresentação de materiais e programas de valor recreativo.

Com as mudanças ocorridas no mundo moderno, às Bibliotecas Escolares foram conferidas novas atribuições, pois estas tornaram-se também um espaço de aprendizagem do uso adequado da informação, pois a utilização da informação de modo preciso é de fato uma prática que requer habilidade, treinamento e instrução adequada.

Problemas da Biblioteca Escolar

Mau funcionamento da biblioteca na escola, que não oferece profissionais qualificados para condução do uso das bibliotecas, pois quando há um responsável pela biblioteca escolar, a média [dos níveis de leitura] aumenta, e quando os professores realizam atividades dirigidas nesse ambiente, há ganhos importantes e significativos na aprendizagem.
Falta de incentivo por parte dos professores, que resulta em desperdício do potencial pedagógico da biblioteca.
Pouca quantidade de bibliotecas na formação inicial do aluno (educação básica).

Estímulo entre pares

Pessoas entre as idades de 12 e 16 anos se enquadram na “forma operacional”, tendo como características: “Usar pensamento abstrato” – necessário para compreensão e construção do texto junto ao estímulo do autor; “pode generalizar” – a partir de um texto dado, a esse leitor é conferida a habilidade de sintetizar os elementos similares e reunir iguais, interpretando e resumindo um texto dado; e, finamente “formular uma hipótese” – a partir das leituras realizadas, vislumbrar possíveis respostas para as questões levantadas pelos textos. Os jovens nessa faixa etária já apresentam elementos críticos necessários para aproveitamento das leituras e por isso é interessante realizar tal atividade.

Situação atual

Mesmo com as recentes políticas de promoção dos hábitos de leitura, o Brasil ainda é muito deficitário no que tange a práticas nas Bibliotecas Escolares. Ações para aproximação do aluno com a biblioteca da escola são válidas, como o “estímulo entre pares”, para que dessa maneira possamos diminuir o distanciamento do leitor para com a leitura, construindo assim as bases para uma sociedade mais letrada, pois, segundo Paulo Freire (1979), “o homem só será capaz de transformar a realidade da sociedade em que vive, se descobrir que ela é modificável e que ele é capaz de modificá-la”. Ou seja, por meio da leitura o homem cria subsídios para desenvolver sua capacidade intelectual e prepara-se para enfrentar os problemas da sociedade em que está inserido.

Fonte

Posted in Administração, Aprendizagem, Biblioteca Escolar, Bibliotecário, Biblioteconomia, Leitura | Leave a comment

Concursos públicos abertos com vagas para o cargo de bibliotecário

Lista de concursos públicos abertos com vagas para o cargo de bibliotecário.

Órgão UF Vagas
FUNDASUS – Fundação de Saúde do Município de Uberlândia MG 1.573
CRO – Conselho Regional de Odontologia SP 39
FACELI – Faculdade de Ensino Superior de Linhares ES 111
Prefeitura de Botucatu SP 122
Prefeitura de Caçador SC 156
Prefeitura de Fortuna de Minas MG 89
Prefeitura de Itaitinga CE 639
Prefeitura de Morungaba SP 49
Prefeitura de Patos de Minas MG 370
Prefeitura de Perdigão MG 268
Prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo SP 38
Prefeitura de Santa Luzia PB 190
Prefeitura de São Sebastião do Paraíso MG Várias
TCM – Tribunal de Contas do Município SP 40

 

Posted in Biblioteca, Bibliotecário, Biblioteconomia, Concurso público | Leave a comment

Classificação e linguagens documentárias: uma introdução

Tem-se como premissa que a especificidade da Ciência da Informação é atuar como mediadora entre a informação e o indivíduo, este, um usuário ativo ou potencial da informação. Para que a mediação da informação possa ocorrer, possibilitando a apropriação da informação por parte do indivíduo, exigem-se dois requisitos: que a informação esteja registrada na forma de documentos e que estes documentos tenham sido organizados.

Sendo a apreensão uma produção de sentido construída culturalmente por parte do indivíduo, requer organização da informação a partir da qual tem-se a oferta de conteúdos e mecanismos adequados para acesso. Neste sentido, cabe ressaltar que a área de Organização da Informação se constitui em um dos pilares da Ciência da Informação, abrangendo diversas atividades documentárias. Essas atividades documentárias se desdobram em operações documentárias, que, para sua execução, lançam mão de instrumentos documentários, visando alcançar como resultado, os produtos documentários. Dentre as principais operações documentárias, está a classificação que, com o objetivo de criar classes de documentos, utiliza as linguagens documentárias como instrumento.

A classificação

Em sua busca por compreender a realidade, o homem articula, organiza e sintetiza as informações em um processo mental que reflete sua interpretação da realidade. Em um processo cognitivo, são estabelecidas classes ou categorias de coisas, seres ou pensamentos, que utilizando as categorias como princípio fundamental para a divisão e classificação, permite reuni-los segundo suas semelhanças ou diferenças, estabelecendo algum tipo de relação entre eles.

As linguagens documentárias

As linguagens documentárias são os instrumentos utilizados pela área de Organização da Informação para controle terminológico no processo de representação e recuperação temática da informação. Consistem em um sistema de signos, formado por um conjunto limitado de termos extraídos de linguagens de especialidade e de linguagem de uso corrente.

As linguagens documentárias são artificialmente construídas e, embora partam da linguagem natural e estabeleçam com ela uma relação simultânea de aproximação e distanciamento, delimitam a significação dos termos e assim reduzem a ambiguidade para fins de recuperação da informação.

A comunidade usuária de serviços de informação é formada por grupos com interesses específicos e fontes de informação próprias. A eficiência alcançada com o uso de linguagens documentárias depende de seu grau de adequação à literatura tratada e aos objetivos dessa comunidade. Para integrar o usuário como participante do processo, as linguagens documentárias devem utilizar referências de linguagem e de significado, que sejam razoavelmente compartilhadas. As linguagens documentárias não devem resultar de convenções arbitrárias ou de preferências individuais, mas se constituírem em fruto de uma análise das características ou traços em relação ao domínio considerado.

Fonte

Posted in Biblioteconomia, Ciência da Informação, Classificação, Linguagem documentária | Leave a comment

Informação pública: como tratar?

No governo federal brasileiro a principal fonte de informação pública é o site Acesso à Informação. Bibliotecários que utilizam ou já utilizaram poderiam opinar sobre esse site? Arquitetura, conteúdos, etc.

Informação pública: o que é?

A informação pública pode ser definida como aquela gerada e/ou acumulada em razão das atividades do governo e convergente com os interesses ou consumo dos atores envolvidos com a esfera pública, sejam eles servidores públicos, profissionais do governo, agentes políticos ou cidadãos. O direito à informação pública é historicamente construído pelas sociedades democráticas e, nesse sentido, o trabalho documentário, por proporcionar acesso e circulação, é fundamental.

Tipos de informação pública

Para que uma instituição pública cumpra seus objetivos e veicule informações que possam ser acessadas e compreendidas, ela deve observar a natureza das informações. No âmbito da informação pública, elas podem ser de natureza jurídica, administrativa, estatística, legislativa, jornalística, financeira, técnica, política etc. Cada uma é estruturada de modo que possa ser identificada, porque estabelece sua diferença e comunicabilidade em relação às demais.

Continue reading

Posted in Acesso à informação, Documentação, Informação, Informação pública, Internet, Pesquisa, Recuperação da informação, Serviço público | Leave a comment